Equinor mais perto da estreia na partilha

A Equinor pretende iniciar sua primeira campanha de perfuração sob o regime de partilha em agosto. O plano da petroleira norueguesa é desmobilizar a sonda da Seadrill West Saturn da área de Carcará, arrematada em 2000, para o bloco vizinho de Norte de Carcará, adquirido na 2ª rodada de partilha, mas o cumprimento desta programação depende ainda de licençamento do Ibama.

Como não há certeza sobre a obtenção da licença ate agosto, a Equinor já esta analisando outras alternativas, como a transferência da sonda para outro projeto do grupo, a realização de um outro poço em Carcará e até mesmo a espera pela liberação da licença.

A sonda da Seadrill está sob contrato com a Equinor até o primeiro trimestre de 2019, tendo mais de uma possibilidade de renovação. A petroleira está finalizando a perfuração do poço 1-STAT-10A-SPS, em lâmina d’água de 1.990 m, onde já foi feita uma nova descoberta de óleo, na área de Guanxuma.

A previsão é de que a sonda permaneça nessa locação por mais duas a três semanas até a finalização total do poço. A campanha de perfuração na área de Carcará teve início em fevereiro.

Além deste poço, a Equinor já concluiu um teste de formação de curta duração (DST – Drill Stem Test) na área reservatório em um novo poço exploratório na área de Guanxuma.

Carcará tem três poços exploratórios perfurados e mais este em curso. A campanha na área de Norte de Carcará deverá envolver a perfuração de dois poços. A Equinor tende a ser a primeira operadora não-Petrobras a perfurar em uma área de partilha.

A entrada em operação do sistema de Carcará está prevista para ocorrer entre o fim de 2023 e o início de 2024.O projeto contará com um FPSO com uma capacidade instalada de 120 mil barris/dia a 180 mil barris/dia de óleo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *